Energia e Ambiente

Energia e Ambiente

Ponte pedonal e ciclável sobre a 2ª Circular

Foi inaugurada no início de 2015 a ponte ciclável sobre a Segunda Circular com a presença do Presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, e do Vice-presidente Executivo da Galp Energia, Luís Palha da Silva. A ponte, que estabelece a ligação entre o Campo Grande, Benfica e o Estádio Universitário, numa extensão ciclável contínua de cerca de nove quilómetros, contribui para alargar a malha da rede de ciclovias, promovendo assim a mobilidade sustentável na cidade de Lisboa.


Este projeto surge na sequência do concurso internacional “Pontes para um futuro mais positivo”, lançado em 2009 pela Fundação Galp em colaboração com a da Experimenta Design - EXD’09, no âmbito do qual foram avaliados projetos para uma ponte ciclável e pedonal sobre a Segunda Circular de Lisboa, foi selecionado o projeto que deu origem à ponte agora inaugurada da autoria de Telmo Cruz, Maximina Almeida, do gabinete de arquitetura MXT Studio. O responsável pela execução do projeto é António Adão da Fonseca, que esteve envolvido em projetos de relevo, como a Ponte Vasco da Gama, o Oceanário de Lisboa ou a Casa da Música, no Porto.

Além do projeto da ponte, as iniciativas da responsabilidade da Fundação Galp incluíram duas outras obras que lhe são complementares: a construção do percurso ciclável entre Benfica (Quinta da Granja) e Telheiras e a repavimentação da pista ciclável do Jardim do Campo Grande, abrangendo uma extensão ciclável contínua de 8,8 Km. A construção deste novo equipamento social decorreu ao longo de 2014, tendo tido como entidades mecenas a Lisboagás e a Câmara Municipal de Lisboa.
Conheça a exposição virtual do projeto.
Conheça o filme da construção e a apresentação do projeto na sequência da Semana da Mobilidade de Lisboa, aqui.
Inauguração das Ciclovias Benfica / Telheiras e Jardim do Campo Grande.

Ciclovias da Fundação Galp em Lisboa já são uma realidade

Enquadrado no protocolo que a Fundação Galp estabeleceu com a Câmara Municipal de Lisboa (CML) em 2009, este projeto insere-se no âmbito do plano de mobilidade e “Estrutura Ecológica de Lisboa – Plano Verde” da CML, que visa promover formas de mobilidade mais sustentável na cidade. Além de uma ponte ciclável sobre a 2ª Circular, as iniciativas da responsabilidade da Fundação Galp incluem duas outras obras que lhe são complementares: a construção do percurso ciclável entre Benfica (Quinta da Granja) e Telheiras e a repavimentação da pista ciclável do Jardim do Campo Grande. 
Estes dois percursos, que se encontram unidos e abrangem uma extensão ciclável contínua de 8,8 Km, encontram-se concluídos e equipados com diversos totens informativos e com ilhas ar/água para o enchimento de pneus e apoio aos ciclistas em tudo semelhantes às que existem em qualquer estação de serviço da Galp Energia. Estes equipamentos foram inaugurados no dia 17 de setembro de 2011, num grande passeio de bicicleta, promovido no âmbito das iniciativas do Verde Movimento Alfacinha para esse fim de semana, que marcaram o arranque da Semana Europeia da Mobilidade. A concentração dos ciclistas deu-se pelas 9h30 no Jardim Amália Rodrigues (no topo do Parque Eduardo VII). Com o apoio da Fundação Galp, o Verde Movimento Alfacinha animou a cidade de Lisboa com inúmeras iniciativas ao longo desses dois dias.

Fundação Galp leva eletricidade solar a comunidades rurais de Moçambique 

 A Fundação Galp, o Fundo de Energia de Moçambique (FUNAE) e a Galp vão desenvolver um projeto social de eletrificação com recurso a sistemas solares fotovoltaicos em escolas, centros de saúde e comunidades das províncias de Maputo, Sofala, Manica e Cabo Delgado.

No dia 30 de maio foi assinado em Maputo o Protocolo de parceria entre estas entidades, representadas por Paula Amorim, presidente do conselho de administração da Fundação Galp, Carlos Gomes da Silva, presidente da comissão executiva da Galp e António Osvaldo Saíde, presidente do conselho de administração do FUNAE. Este projeto será desenvolvido num prazo de dois anos, contando com um investimento global de €600,000 (cerca de 40 milhões de meticais), financiado pela Fundação Galp.

A Fundação Galp tem vindo a desenvolver este projeto desde 2016, tendo o mesmo sido selecionado após a avaliação de mais de uma centena de projetos, apresentados por entidades interessadas e que preenchiam os critérios de elegibilidade. A promoção da eletrificação rural através do aproveitamento dos recursos naturais é um dos vetores, definidos pelo Governo de Moçambique, como estratégico e prioritário para o desenvolvimento económico e social do País.

Imprimir

Partilhar: